Mindfulness nas escolas: o que é?

Mindfulness nas escolas: o que é?

Publicado por: Namu Publicado: 29/10/2018 Visitas: 607 Comentários: 0

“Educar é crescer. Crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra.” A célebre frase do educador Anísio Teixeira ajuda a expressar o que todos sabem: a importância da escola para a formação do ser humano. Nessa linha de pensamento, as fases da infância e adolescência são determinantes para o desenvolvimento físico, cognitivo, social e emocional.

Sabe-se que, por exemplo, a não aquisição da linguagem no período correto, ou “crítico”, pode gerar prejuízos até mesmo irreversíveis nessa função. Sabe-se também que o estresse na infância pode ter efeitos negativos no neurodesenvolvimento infantil.

É durante a infância e a adolescência que muitos transtornos mentais incapacitantes e progressivos se manifestam. Apesar da aptidão humana para demonstrar em maior ou menor grau processos de resiliência, o conhecimento teórico e empírico nos mostra que é crucial garantir e proporcionar condições de desenvolvimento saudável nas fases iniciais do ciclo vital.

Muitas das iniciativas com a finalidade de complementar o trabalho escolar têm se apoiado nas crescentes e populares adaptações de “programas baseados em mindfulness”.

Estado de atenção

De acordo com o conceito ocidental de medicina, mindfulness é um termo utilizado para designar práticas meditativas que visam promover o funcionamento psicológico saudável, como o melhor controle de emoções e comportamentos, sem vincular-se a contextos filosóficos e/ou religiosos.

De forma diferente a algumas práticas consideradas meditativas, em que a concentração em um único objeto (por exemplo, a repetição mental do som de uma sílaba) ajuda a eliminar outros conteúdos da consciência, no mindfulness o objetivo é desenvolver uma maior consciência das flutuações da atividade mental e experiências no momento presente.

Originalmente, os programas baseados em mindfulness surgiram como um tratamento complementar para diversas condições de saúde física e mental. O crescente volume de pesquisas com demonstrações de sua eficácia têm difundido mundialmente a prática.

mindfulness é um treinamento para aprimorar e manter o estado de atenção plena a cada instante acompanhado por uma atitude interna de aceitação e não julgamento.

Qualidade de vida

Com as práticas de mindfulness, aprende-se a mudar a forma de se relacionar com a própria atividade mental, evitar respostas condicionadas e automáticas e melhorar a qualidade das experiências. O mindfulness de fato parece auxiliar na redução de sintomas geradores de sofrimento, como estresse, depressão e ansiedade. Auxilia também no incremento de características positivas, como bem-estar, qualidade de vida e saúde mental.

Na educação, a inserção de práticas meditativas e contemplativas é uma tendência nova no Ocidente, mas que parece promissora, conforme inúmeras pesquisas têm apontado. Um aspecto importante dessas práticas quando utilizadas em escolas é que elas devem ser adaptadas às faixas etárias das crianças e adolescentes.

Nesse sentido, recomenda-se reduzir a duração de cada prática, incorporar múltiplas modalidades sensoriais nas atividades, usar metáforas para comunicar conceitos-chave e dedicar maior tempo na explicação de ideias e premissas importantes aos alunos.

Alguns exemplos de práticas incluem a meditação da respiração (consciência da respiração), a meditação caminhando (consciência dos movimentos), o escaneamento corporal (consciência das diferentes partes do corpo), a meditação das sensações (consciência da percepção de diferentes estímulos sensoriais), exercícios de imaginação guiada ou ainda a prática da atenção plena por meio de sequências de movimentos e posturas físicas.

Currículo escolar

Tais iniciativas podem exibir diferentes configurações no contexto escolar e serem incorporadas no currículo normal. Além disso, podem fazer parte das atividades regulares ou serem oferecidas em forma de programas, que é a configuração mais comum. Os programas são formados por pacotes, isto é, acontecem dentro de um período preestabelecido (por exemplo, dois meses) e são oferecidos como atividade temporária ou extracurricular.

Os programas podem ser classificados como intervenções para todas as crianças e jovens de uma determinada escola, classe ou série ou direcionadas a grupos que apresentam e compartilham queixas ou dificuldades mais específicas. Apesar destas particularidades e de algumas distinções metodológicas, como idade escolar, duração do programa e das práticas ou o número de técnicas que incorpora, todos os programas compartilham objetivos comuns.

Embora muitos estudos de mindfulness para o público infantil sejam adaptados de programas clássicos desenvolvidos para adultos, como o mindfulness-based stress reduction ou o mindfulness-based cognitive therapy, existem propostas especificamente delineadas para o ambiente escolar e o público infantojuvenil. Os programas de mindfulness têm sido amplamente empregados no mundo inteiro. Nos Estados Unidos, onde o índice de aceitação é alto, projetos como o Lineage Project e o Inner Kids Program têm trazido resultados promissores.

No Brasil, o projeto Meditação nas Escolas, da Associação Mente Viva, busca levar a prática para a sala de aula. A proposta, que ainda não se configura como um programa propriamente dito, visa oferecer treinamento a educadores, para que eles possam incluir a prática no currículo educacional. O objetivo é tornar a pausa para a meditação uma prática habitual com a inserção de sessões no início ou no intervalo das aulas.

Direcionamento

O fundamento de aplicação das práticas de mindfulness é proporcionar novas formas de aprendizado que otimizem o desenvolvimento e o cultivo de qualidades positivas e a criação de novos hábitos mentais. Elas buscam oferecer ferramentas pessoais que contribuam para a promoção ou refinamento de habilidades cognitivas e ajudem a aperfeiçoar a estabilidade emocional, atencional e metacognitiva, além de aumentar a autoconsciência, resiliência, bem-estar e interação social.

Cabe destacar ainda que, aliado à relevância desses objetivos, a aplicação e o estudo destes programas é uma meio para a integração transdisciplinar entre as áreas de educação, artes, psicologia, biologia e política. Uma vez testada sua eficácia em sistemas educacionais, o programa pode ser uma estratégia de melhoria das políticas de educação.

Fonte: https://www.namu.com.br/artigos/mindfulness-nas-escolas-o-que-e

Tags: Mindfullness, Meditação, Yoga

Produtos relacionados

Comentários

Escreva o comentário